Gestão de Pessoas no Cenário Pós Pandemia

PERSPECTIVAS NO CEARÁ NO CENÁRIO DE PÓS PANDEMIA PARA A GESTÃO DE PESSOAS NAS EMPRESAS

Os temas da transformação digital, engajamento de talentos e futuro do trabalho já estavam na pauta dos profissionais de gestão de pessoas. Mas nenhum de nós duvida que o cenário de pandemia acelerou de modo exponencial essa mudança nas empresas.

Com tantos desafios e mudanças na forma de trabalhar, a crise trouxe para as organizações aprendizados rápidos que nos prepararam para enfrentar melhor as inovações que precisamos trazer para nossos modelos de negócios. Temos sido capazes de destravar nossas resistências quanto à entrega de produtos e serviços online e isso nos aponta para um cenário de muitas transformações que estão por vir.

Com a área e processos de gestão de pessoas também não poderia ser diferente. Muitas adaptações precisaram ser realizadas para trabalhar nesse contexto de isolamento, desde seleção de colaboradores, capacitação do time para atuar de modo remoto ou com as medidas de segurança, até celebrações virtuais. Isso tudo traz para nós uma alerta de que muitos desafios e inovações podem ser melhoradas e/ou adotadas em nossas empresas.

Nesse movimento de pensar o futuro pós pandemia, vamos compartilhar com você algumas práticas que poderão tornar sua Gestão de Pessoas mais preparada e ágil para lidar em cenários de incerteza, que é nossa única certeza.

QUE TENDÊNCIAS SÃO FORTALECIDAS AO AGREGAR NOVOS TALENTOS?

Recrutamento e Seleção on line

Sabemos que muitas empresas, precisaram suspender contratos, realizar reduções de carga horária e até mesmo antecipar férias para seus colaboradores. No entanto, muitos outros segmentos precisaram ampliar seus quadros nesse momento delicado de isolamento social, como é o caso, por exemplo, dos hospitais, supermercados, e negócios ligados à área de tecnologia.

A pandemia e as políticas de isolamento social afetaram diretamente a forma que as empresas realizavam seus processos de seleção. Com a impossibilidade dos contatos e momentos presenciais “olho no olho”, muitas empresas tiveram que adaptar a forma de avaliar candidatos para não perder a qualidade do seu processo.

A tendência de tornar o recrutamento e seleção mais online já vinha sendo adotada por algumas empresas, mas muitas ainda realizavam este processo de forma extremamente manual. Essas tiveram rapidamente que adaptar ferramentas, planejar e executar processos seletivos de forma mais ágil e remotamente.

O Brasil já possui diversas startups que desenvolveram tecnologias de recrutamento e seleção online, mas essa seguirá sem dúvida como uma tendência no período pós pandemia. Teremos desde plataformas cada vez mais completas envolvendo entrevistas virtuais através de streaming até feiras de recrutamento virtuais.

Onboarding on line

A integração de novos talentos também precisou ser adaptada ao ambiente virtual neste cenário de pandemia. Seguirá ainda como tendência, pois as empresas precisarão adotar medidas de segurança no sentido de evitar aglomerações.

Dessa forma, os novos colaboradores realizarão desde a entrega de documentação até a apresentação da sua equipe de trabalho e conhecimento da cultura da empresa, tudo dentro de ambientes virtuais. Caberá à área de gestão de pessoas tornar essa experiência amigável e engajadora.

QUE AÇÕES POSSO ADOTAR COM BAIXO CUSTO E ALTO IMPACTO PARA DESENVOLVER TALENTOS?

Curadoria de conteúdos & Microlearning

Diante de sobrecarga de informações caberá à área de Gestão de Pessoas realizar curadoria de conteúdos e aprendizados mais relevantes para os colaboradores. Esta curadoria envolverá cada vez mais o microlearning, ou seja, pílulas de conhecimento que poderão ser acessadas de forma ágil por qualquer colaborador de acordo com suas necessidades.

O microlearning já é uma realidade. Trata-se de um novo formato de aprendizagem que oferece ao usuário a possibilidade de ter um aprendizado autodirigido em pequenas quantidades. Ou seja, o colaborador busca o conteúdo de sua escolha e no formato que quer, para o objetivo que desejar. Podem ser vídeos, capítulos de um livro, artigos, jogos, infográficos, quiz, dentre outras possibilidades. O colaborador faz a escolha de acordo com o modelo em que ele se sente mais confortável em aprender, trazendo mais velocidade ao processo de aprendizagem. Além disso, possibilita a aplicação imediata do tema estudado, pois, assim que o tópico for assimilado, ele já consegue utilizar na prática. Essa nova estratégia tem sido pensada, também, para atender as demandas de um mundo cada vez sobrecarregado de informações.

Projetos, Experiência e Times Ágeis

Apesar da tecnologia estar no centro e ser uma grande aliada também da área de Gestão de Pessoas, acredito que a grande tendência para o desenvolvimento de talentos passará pela humanização. Charles Jennings, principal idealizador na metodologia 70:20:10, já apontava que 90% do aprendizado viria a partir da experiência e da troca com os próprios colegas e superiores.

Embora possamos atualmente contar com diversos recursos tecnológicos na área do ensino e aprendizagem (uso de recursos em Ead, mobile, etc), é na prática, na experiência e na troca que conseguimos exercitar as nossas competências. Devemos propor desafios que tornem o colaborador protagonista (como sala de aula invertida), uso da gamificação e o próprio feedback contínuo para que as oportunidades de aprendizado e desenvolvimento sejam mais reais, dinâmicas e interativas.

QUE ESTRATÉGIAS PODEM SER UTILIZADAS PARA VALORIZAR TALENTOS?

Pesquisas de Clima e Engajamento Contínuo

A escuta contínua dos colaboradores passará a ser mais utilizada pelas empresas através de plataformas de people analytics. Em momentos críticos como o que vivemos nuca foi tão importante ouvir o colaborador, já que estar em ambientes psicologicamente seguros é condição fundamental para ampliar a produtividade e entrega.

Dessa forma, se as empresas ouviam seus times em pesquisas de clima anuais, a tendência aponta para uma necessidade de ouvir e fazer algo a respeito rapidamente para que não sejamos surpreendidos pela perda de talentos.

Novos formatos de participação no negócio: a partnership

A valorização do alinhamento das pessoas com a cultura & propósito têm sido uma constante e as empresas têm convidado a tornar-se sócios aqueles colaboradores que agregam ao negócio. Este novo modelo de partnership envolve uma cultura de alto engajamento pois acredita-se que ninguém se dedica tanto ao negócio como um sócio. E nessa perspectiva é que trazer mais pessoas para a sociedade, fará ter uma cultura de alto engajamento.

Para assegurar que sua empresa esteja alinhada com essas e outras tendências, é preciso ter um RH Ágil que possa entregar valor constante em ambientes de incerteza.

O RH Ágil, termo comum visto no momento, é aquele que tem conseguido aprender e dominar rapidamente os métodos ágeis já utilizados nas áreas de TI e Projetos, como método scrum, kanbam, lean, design Sprint, para realizar entregas incrementais que agreguem valor para as pessoas na sua empresa.

Então, preparado para levar inovação para sua estrutura de Gestão de Pessoas? Conhecer as principais tendências e ter a capacidade de implementá-las é um passo significativo para garantir a retomada da sua empresa nesse cenário de crise e pós pandemia.

Samara Milério

Samara Milério

Samara Milério é sócia-diretora da Impulsionarh, Psicóloga, Mestre em Administração, professora do cursos de Administração e Recursos Humanos na UNIFOR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *