O Que é Microlearning e Como Implantar de Forma Efetiva no Seu RH

Com o celular na mão, temos acesso a um mundo de informações. E não só com o celular, mas também com outros aparelhos, como notebooks, tablets e por aí vai. Quando estamos com amigos e queremos tirar uma dúvida sobre um assunto, é só dar um clique e em poucos minutos já conseguimos ter conhecimento sobre determinado tema. Ou então quando vamos preparar algum prato que nunca fizemos antes, basta acessar um vídeo ou um site de receitas e já temos um passo a passo de como fazê-lo. Toda essa facilidade de acesso a diversos conteúdos também pode ser trazida para o nosso dia a dia no trabalho. Um exemplo: você tem uma apresentação importante a elaborar e quer tentar algo inovador,  as não tem tempo para fazer um curso, então entra no YouTube e assiste a vários vídeos sobre como montar uma apresentação arrojada; ou então se você for um profissional de RH e quer se manter atualizado das principais tendências da área, você consegue encontrar rapidamente diversos materiais online para se especializar ainda mais.

 

Esse novo formato de aprendizagem possui um nome e está sendo bastante abordado atualmente. É o microlearning. Ele oferece ao usuário a possibilidade de ter um aprendizado autodirigido em pequenas quantidades, ou seja, o colaborador busca o conteúdo de sua escolha e no formato que quer, para o objetivo que desejar. Podem ser vídeos, capítulos de um livro, artigos, jogos, infográficos, quiz, dentre outras possibilidades. O colaborador faz a escolha de acordo com o modelo em que ele se sente mais confortável em aprender, trazendo mais velocidade ao processo de aprendizagem. Além disso, possibilita a aplicação imediata do tema estudado, pois, assim que o tópico for assimilado, ele já consegue utilizar na prática. Essa nova estratégia tem sido pensada, também, para atender as demandas de um público cada vez mais presente

no quadro de colaboradores: os millenials.

 

São pessoas nascidas entre a década de 1980 e dos anos 2000, que presenciaram o desenvolvimento da internet. Para elas, estar conectado é de suma importância. Uma forma de engajá-las, qualificá-las e trazê-las para mais perto do core business é encontrar ferramentas que se aproximem da realidade delas. Assim, o microlearning se mostra como um método rápido, focado, orientado à necessidade do usuário e que aumenta o engajamento dos colaboradores. Diferente dos treinamentos presenciais convencionais, o colaborador não precisa se deslocar, não precisa sair do seu espaço de trabalho, foca no tema que deseja aprender e recebe as informações que são realmente essenciais de acordo com o que se busca.

 

O termo microlearning, em português, transformou-se em pílulas do conhecimento e elas já são utilizadas em algumas empresas pela área de Recursos Humanos. São conteúdos organizados em pequenas partes de acordo com o cargo ou

com as competências que o colaborador deseja desenvolver. Tais pílulas podem se tratar de um tema macro, mas são divididas em cápsulas, de forma concisa e clara. Para tornar o processo de aprendizagem mais eficiente, as pílulas são
organizadas por uma espécie de caminho por onde o colaborador pode percorrer, de acordo com seus objetivos e aspirações. Tal caminho é conhecido como trilha de aprendizagem, que é o percurso que o colaborador faz para se desenvolver, utilizando diferentes formatos de aprendizado de acordo com as pílulas do conhecimento.

 

A seguir, damos algumas dicas para que você possa implantar o microlearning ou as pílulas do conhecimento de uma forma efetiva:

 

1) Mobile

Para facilitar o acesso, otimizar o tempo e aumentar o nível de interação com os colaboradores, é importante que os conteúdos possam ser disponibilizados em uma plataforma mobile, afinal estamos sempre com o celular por perto, não é verdade?

 

2) Interatividade

Além de viabilizar o acesso, é interessante que o usuário possa interagir com o conteúdo. Um exemplo é a criação de um jogo ou um quiz envolvendo algum tema. Vai tornar o momento bastante dinâmico.

 

3) Pílulas

 Mesmo que o conteúdo seja grande, divida-o em pequenas partes para ajudar na assimilação. O colaborador não vai se cansar e ele ainda pode ter acesso ao material em diferentes momentos do seu dia.

 

4) Experiência do colaborador

 Planeje a experiência pela qual o colaborador vai passar ao utilizar as pílulas do conhecimento. Reflita sobre uma questão: O que você gostaria que o colaborador falasse pros seus colegas ao finalizar a trilha de aprendizagem?

 

5) Analytics

 Mensure e acompanhe a efetividade das pílulas e da trilha de aprendizagem. É importante ver itens como: quantas vezes eles tentaram passar por um quiz; o tempo que o colaborador passa em um conteúdo específico; em qual parte do material o colaborador mais demorou, dentre outros pontos. Os dados vão ajudar você a tomar decisões mais assertivas.

 

O microlearning já é uma realidade. Cada vez mais, o RH precisa se reinventar e aderir ao mindset digital para continuar agregando e atuar de forma mais estratégica.

Guilherme Alencar

Guilherme Alencar

Guilherme de Alencar faz parte do time de
consultores da Impulsionarh. Formado em Administração e com MBA em Gestão e
Consultoria de Recursos Humanos, Guilherme desenvolve produtos e serviços
voltados para RHs que desejam obter uma atuação mais assertiva e estratégica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *